Últimas

Lombadas Elevadas estão sendo refeitas em Ji-Paraná


A Prefeitura Municipal de Ji-Paraná, por meio da Secretaria de Planejamento, autorizou a Empresa E. A. de Jesus Construções e Serviços LTDA a refazer nove lombadas elevadas por estarem com o nível de resistência do concreto abaixo do especificado no contrato. O problema foi detectado na última aferição técnica realizada pela equipe de engenharia da Prefeitura. Também foram verificadas necessidades de adequações em outras duas faixas elevadas e que deverão ser providenciadas nos próximos dias.

A empresa concordou em realizar a demolição e reconstrução das lombadas onde foram detectados os problemas, e irá utilizando outro tipo de fabricação de concreto. A reconstrução e as adequações não terão custos para a Prefeitura, sendo que todo o material utilizado e os gastos advindos serão de responsabilidade da empresa.

A obra tem o valor total de R$ 593 mil para construção, pintura e sinalização de 54 faixas elevadas, recursos oriundos do Governo do Estado de Rondônia, através de convênio firmado em 2017, com Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RO).

Conforme o Secretário Municipal de Planejamento, Pedro Cabeça Sobrinho, a empresa foi notificada e já iniciou os trabalhos de reconstrução das lombadas, devendo as correções ser finalizadas ainda neste mês de março.

“Nossa intenção é que a obra seja concluída com a qualidade exigida e dentro das especificações da legislação nacional de trânsito. Nossa equipe de fiscalização está agindo de forma rigorosa para que a população receba uma obra conforme foi contratada”, ressaltou o Secretário.

Outra informação confirmada pela Secretaria Municipal de Planejamento é que nos próximos dias a empresa também iniciará os serviços de pintura e sinalização das lombadas.

“Faltam para serem executados cerca de 28% do projeto. Algumas faixas não serão construídas, devido a problemas identificados nos locais, estando sob análise a possibilidade destas lombadas serem remanejadas para outros locais, caso contrário, haverá a necessidade de glosa (Cancelamento) dos valores referentes a estes serviços”, ressaltou Pedro Sobrinho.

Assessoria