Últimas

Ônibus são reprovados e início das aulas na área rural de Ji-Paraná é prorrogado


Das três empresas vencedoras da licitação para o transporte escolar na área rural de Ji-Paraná, uma não compareceu e outra teve os ônibus reprovados pela Equipe Especial de Vistoria da Secretaria Municipal de Educação (Semed). O entrave forçou a prorrogação do início das aulas do dia 27 deste mês, como estava previsto, para o próximo mês de março.

De acordo com a secretária municipal de Educação, Edilaine Alves da Silva Nogueira em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira, 21, em seu gabinete, apenas uma das três empresas, a daqui de Rondônia, teve seus ônibus aprovados pela Equipe de Vistoria e segue o trâmite legal para contratação. Uma outra empresa, do Estado do Amazonas, sequer compareceu, e, de acordo com os trâmites legais, será convocada a empresa que ficou em segundo lugar no pleito licitatório. Já a empresa do Estado de Alagoas, que teve seus ônibus reprovados pela Equipe de Vistoria por estarem fora dos padrões de segurança exigidos por lei, requereu prazo para a apresentação de nova frota, o que também faz parte do processo licitatório.

Porém, como explicou Edilaine, com o novo prazo dado à empresa e os prazos legais para o chamamento da empresa substituta à empresa que não compareceu, o início das aulas na área rural do Município teve que ser adiado e a equipe técnica da Semed terá que reorganizar o Calendário Escolar para atender o que dispõe a norma.

“A nossa expectativa é que, respeitados os prazos legais do processo licitatório, nós consigamos dar início às aulas nas escolas do campo no mais tardar na segunda quinzena do mês de março. Teremos que contar com os esforços e a compreensão de todos, gestores, professores, pais e alunos para readequar o Calendário Escolar sem prejudicar nossos estudantes, pois não tivemos escolha, uma vez que o compromisso social da Secretaria não se limita somente ao cumprimento legal e o direito do aluno aos seus 200 dias letivos, mas também à segurança das nossas crianças no transporte escolar”, destacou a secretária de Educação.

“Os 22 ônibus apresentados pela empresa de Alagoas não tinham condições de segurança para o transporte dos alunos. Foram apresentados veículos com os pneus sem condições de rodagem, bancos sem estarem devidamente afixados, alguns bancos sem os cintos de segurança, veículos com a parte elétrica comprometida, entre outros problemas detectados. A Equipe de Vistoria foi muito rígida e ela está corretíssima, pois estamos trabalhando com vidas, nós temos que ter responsabilidade com nossos estudantes, como bem disse a secretária”, concluiu Alex Marcos da Silva, presidente da Autarquia Municipal de Trânsito (AMT).

Assessoria