Últimas

Prédio da CrediSIS em Nova Brasilândia com placas de energia solar

Uma das principais novidades no mercado, este ano, está na instalação de projetos relacionados à energia solar. Empresas do setor são unânimes em pontuar que, com a crescente demanda, o custo com equipamentos e instalação teve redução de aproximadamente 30%.

“Energia solar é uma tendência. O cooperativismo está incentivando muito este negócio, porque é um retorno garantido. O dinheiro que pagaria com energia elétrica, quita as parcelas do financiamento. Dentro de um prazo médio de quatro anos é possível concluir este investimento”, explicou o diretor executivo da CrediSIS CrediBrás, Lucas Chiquessi.

O valor mais acessível da tecnologia ainda está acompanhado de outro fator muito importante, os consecutivos aumentos da tarifa de energia elétrica, que tornam a opção da energia solar mais atrativa. O Sistema CrediSIS, incentiva a aquisição de equipamentos com o intuito de estimular a produção de energia por fontes renováveis. As linhas de financiamento contam com taxas de 0,99% ao mês, destinada tanto para consumo próprio, quanto para empresarial.

O novo prédio da cooperativa CrediSIS CrediBrás, inaugurado em janeiro, possui tecnologia fotovoltaica. Em um balanço divulgado durante a Assembleia Geral da cooperativa em abril apontou que, sem o sistema solar, o valor total da conta de energia elétrica ultrapassaria R$ 4 mil. Com o sistema o valor da conta ficou em R$ 700,00.

De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) em 2019 o setor deve experimentar uma expansão próxima a 44% na capacidade instalada, alcançando os 3,3 gigawatts (GW).

Além dos valores estarem mais atraentes para quem busca investir na geração da própria energia, outra boa notícia é com relação à manutenção do equipamento. Empresas do ramo explicam que caso os produtos adquiridos sejam de qualidade, o sistema exige poucos cuidados, isso porque a própria chuva realiza a retirada da poeira acumulada, sendo preciso apenas fazer a limpeza de folhas caídas sobre as placas e manutenção de árvores próximas podadas, evitando sombras e consequente redução na eficiência do projeto.

CrediSIS