Últimas

Pit stop sobre racismo reúne técnicos, professores e alunos

A Prefeitura de Ji-Paraná, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) e Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) realizou na manhã desta quinta-feira, 21, um pit stop no cruzamento entre a Avenida Marechal Rondon e a Rua dos Mineiros com o objetivo de alertar a população para a prática do racismo na infância.

A ação contou com a participação de técnicos das Secretarias, professores e alunos da Escola Municipal Almir Zandonadi. A iniciativa faz parte de uma campanha nacional em parceria com o Fundo das Nações unidas para a Infância (UNICEF) que tem como tema “Por uma infância sem racismo”, mostrando maneiras simples, porém eficazes, para o combate do racismo em nossa sociedade, por exemplo, educando as crianças para o respeito às diferenças; evitando a estigmatização de crianças, culturas e tradições através de textos, histórias, piadas e expressões; e principalmente ensinando a denunciar os casos de discriminação ligando para o Conselho Tutelar ou o Disk 100.

O pit stop faz parte de uma série de ações que são requisitos para que o Município receba o Selo UNICEF edição 2017-2020. Ao aderir ao Selo UNICEF, o Município assume o compromisso de manter a agenda de suas políticas públicas pela infância e adolescência como prioridade.

De acordo com a coordenadora de Cultura da Semed, Suzana Rocha “o cumprimento da Lei n°11645/2008, que incluiu a obrigatoriedade da cultura afro-brasileira e indígena no currículo escolar, faz parte das atribuições necessárias para o recebimento do Selo UNICEF. Desde 2003, Ji-Paraná vem implementando ações de formação continuada para os professores da Rede Municipal de Ensino, bem como a aquisição de material com recursos próprios para trabalhar a temática nas escolas”.

O Selo UNICEF contribui para o alcance de 8 dos 17 objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), uma agenda global acordada por todos os Estados-Membros daOrganização das Nações Unidas (ONU) até 2030.

Já segundo a professora de História da Almir Zandonadi, Angela Cristina Paris, o pit stop é a culminância de uma série de ações que já vem sendo trabalhada em sala de aula.

“Durante toda semana, a gente já vem trabalhando o tema racismo em sala de aula com as crianças, destacando que a cor da pele, a crença ou mesmo a raça não fazem com que uma pessoa seja melhor ou pior que a outra. Destacamos estes temas desde nossas crianças menores para que no futuro tenhamos adultos melhores, mais conscientes”, disse a professora, frisando que ações como a realizada hoje junto com as crianças é importante porque “tem gente que já vem com uma criação, uma concepção muito discriminatória. A gente envolvendo as crianças para levar essa mensagem contra o racismo, a discriminação…elas olham com um olhar diferente, um olhar para um mundo melhor”.

Decom